sexta-feira, 27 de abril de 2012

FUTEBOL, MÍDIA, RESPEITO E PAZ!

Campinas, 27 de abril de 2012
Este texto começou a ser formulado em minha cabeça hoje às 05h30min da manhã enquanto eu dormia, ou melhor, acordava ao som da torcida. Sim, da torcida! Eu moro na rua de trás do estádio de futebol da Ponte Preta, em Campinas, interior de São Paulo. No próximo domingo haverá o derby, que é o jogo entre os dois times da cidade: Guarani e Ponte Preta, e os ingressos para esse famoso começou a ser vendido hoje. Acredito que as pessoas não tenham outros afazeres e decidiram ir para o estádio logo de madrugada, de baixo de chuva para poder garantir seus ingressos, e com isso decidiram se empolgar e começar a cantar musica de torcida, como se fosse um bom horário para isso, como se não tivesse um bairro inteiro em volta do estádio com pessoas dormindo naquele horário, às 06h30min da manhã começou então a tocar o hino do time, que beleza, não é não? Neste exato momento são 08h44min da manhã e já não ouço mais o barulho, mas ouvi muitos barulhos de sirene.

Senti uma grande confusão mental quando ouvi barulho de torcida às 05h30min da manhã, pensei: ¨Será que está começando um jogo agora? Aquele que foi cancelado na noite anterior por conta de alagamento do campo? Será que eu dormi tanto e já é de noite? Que horas são? É sonho?¨ Então me dei conta que poderia mesmo ser por conta da venda dos ingressos e senti uma revolta tão grande pelo meu sono estar sendo incomodado por um motivo tão fútil. Tudo bem se o pessoal quer garantir seu ingresso, mas precisa avisar o bairro todo que ele está lá para isso? E me revoltei com minha revolta, que imbecilidade da minha parte me revoltar com isso, deveria deixar de lado e tentar dormir, mas talvez não fosse a revolta, não escreveria este texto, transformei-a em algo criativo, ou não, para aqueles que não gostarem, hehe. Mas o meu ponto forte neste texto não é só a minha egoísta reclamação por ter perdido o meu sono, mas sim dizer que o futebol não presta, opa, deixa eu me corrigir, a competição não presta! A competição leva à violência, desordem e raiva, por isso ela dá tanto dinheiro e a mídia adora! Suponhamos que os times continuassem a se enfrentar, porém sem contar os gols, sem eleger vencedores, seria jogo por jogo, por prazer, por mostrar o trabalho deles à torcida, quem iria assistir a um jogo desses? Quem iria ver o Neymar jogar se ele não estivesse disputando um título? Seria tudo muito pacífico, e por isso não seria interessante, nem para o espectador e nem para a mídia. A violência gerada pelo futebol é a grande alegria da mídia, por isso essa palhaçada nunca vai acabar se não pararmos de comprar a raiva. Acho tão lindo a publicação de fotos no facebook com gente de diferentes torcidas unidas em abraço, os eventos reunindo torcedores de diferentes times, acho que é o início de uma cultura de PAZ, mas isso tem que se tornar interessante também para a mídia, ou nós nos desinteressarmos pela mídia, o que será que é mais fácil? Se um dia PAZ for algo lucrativo, então a mídia irá voltar os olhos para ela, é um jogo de interesses, infelizmente. Mas porque é interessante para a mídia que tenha a violência? A violência é gerada a partir de um momento de raiva, e como todos estão submersos neste sentimento, há a identificação e nós nos interessamos pelo que nos identificamos. Levanta a mão quem não sente raiva do chefe, do funcionário, do filho desobediente, da mãe chata, do presidente, do cara que dá uma fechada ou está andando devagar no trânsito? Quem não sente raiva quando vê aquela cena da vilã da novela maltratando a mocinha e fica o dia inteiro seguinte querendo matar a personagem? Pronto, temos a raiva como a maior vendedora de brinquedos e jogos violentos, de novelas, de filmes sangrentos e claro, FUTEBOL! Por que outros esportes não despertam tanto interesse? Porque são pacíficos, pode até ser legal em um dado momento, como foi com o vôlei, mas foi por moda. Quem tem um time favorito de vôlei aqui? Por que o tal do UFC está em alta? É violento, mexe com a raiva, quem não quer socar a cara de alguém? Pronto, teve a identificação também. E as grandes marcas preferem patrocinar o que for mais violento, pois é o que vai dar mais ibope e o que vai vender mais. Ou seja, o torcedor é escravo da mídia e nem se dá conta disso, eu li algo parecido em algum texto, eu não consigo me lembrar de quem, gostaria de citar isso aqui, pois este texto também é uma fonte de inspiração para mim. Para tornar o futebol pacífico, deveríamos pacificar o coração das pessoas, transformar a raiva em energia criativa e não energia destruidora (a raiva não pode ser eliminada, mas sim transformada). As pessoas deveriam aprender o conceito de RESPEITO para poder praticar a PAZ! PAZ e RESPEITO andam juntas. Hoje quando fui acordada às 05h30min da manhã, eu me senti desrespeitada e como uma pessoa que não respeita sua comunidade pode sentir e emanar a PAZ? No campo o pai deixa seu filho falar e ouvir palavrão, na mesa de almoço não. O que esta criança está aprendendo? Que o respeito só presta em determinados momentos, em outros não. Mas para a mídia isso é ótimo, pois uma criança que cresce assim é que vai gastar dinheiro com o é que interessante para ela. Sem contar que o futebol mascara os verdadeiros problemas sociais, enquanto estamos todos tão preocupados com a final do campeonato, nossos bolsos continuam sendo cada vez mais roubados. Não sou contra esporte, mas apenas contra a competição. Quem dera pessoas praticassem esporte pelo simples prazer de se exercitar, de socializar, de se divertir. E para quem não gostou do que leu aqui, é para você mesmo que eu escrevo, pois é você que está sendo engolido pela mídia e precisa sair desse buraco logo, para poder desfrutar de uma certa liberdade. É você que pode reverter esse quadro, é você que vai ajudar a instaurar a PAZ e o RESPEITO. Para quem gostou, parabéns, já está no caminho da liberdade e paz, e se puder, compartilhe com seus amigos. Obrigada.

3 comentários:

  1. Este comentário foi removido pelo autor.

    ResponderExcluir
  2. Acordei com raiva!
    Pensar é muito custoso nos dias de hoje.
    Ninguém do clube pensou que anunciando o início das vendas para às 9h atrairia torcedores para a frente do estádio, como ocorreu? Se não pensaram, paguem por isso. São os 'organizadores', não são?

    O brasileiro não deu certo. Não deu. Reclamamos das coisas que nós mesmos fazemos. Vivemos num tempo de 'idiocracia' institucionalizada e amparada pela mídia que lucra com tudo. Somos culturalmente empobrecidos, porcos e violentos. Somos uma 'gentália' sem pai nem mãe. Um país lindo por fora e podre por dentro. Nossos governantes só governam para eles mesmos. E quando algo dá errado (provavelmente porque alguém ficou de fora da maracutaia) eles mesmos se investigam. E se absolvem.
    Nós caímos direitinho no plano geral da coisa: nos dão músicas para dançarmos e cantarmos felizes na rua (sem palavras difíceis, pra não complicar, né?), nos dão jogos de futebol (muitas vezes arranjados) para que essa sensação de felicidade cale a nossa boca e pare o funcionamento de nosso cérebro.
    E amanhã, quando alguém falar mal do Brasil, diremos: é o melhor país do mundo! Afinal não temos terremoto, não é mesmo?

    Desculpe-me pelo desabafo em seu blog.
    Adorei o seu texto, parabéns!

    Ao contrário do que possa parecer, sou torcedor de futebol, frequento estádios, amo meu time por herança de meu avô querido. Mas tento ver as coisas pelo lado de fora. participo da engrenagem, mas não é bom.

    Mais uma vez, parabéns pelo texto!

    ResponderExcluir
  3. vas-ques-ri-me-nes . Adorei todas as suas colocações, e não é desabafo, é a verdade tudo o que falou. Sabe o que é mais digno, ser um torcedor e, porém enxergar fora da caixa, esse é o caminho! Obrigada por dividir sua opinião aqui e pelo elogio!
    ;-)

    ResponderExcluir